Hi-TECH - Quando eu me for, ... mas eu não quero ir...


Highlight da semana de 24/11 a 30 de novembro de 2021.


TEMA da semana:


Quando eu me for, mas ... eu não quero ir... (M. Sérgio Cortella)


Na semana passada disse que estava testando ser mais "fluido" para migrar para o paradigma perceber/responder. Falei também que essa semana daria a resposta (rsrsrs). Bem, foi interessante perceber que o fato de aceitar os imprevistos e tentar responder a eles, termina sendo o que nos resta fazer, pois não temos controle sobre o que o universo apronta. Difícil diminuir o estresse dos imprevistos, porém fiquei feliz quando consegui "ver" o que estava acontecendo e na possibilidade de, mesmo "explodindo" (sou bem esquentado...) conseguir diminuir a raiva mais rapidamente e encarar o fato de que ela não tem o poder de mudar nada na realidade, apenas aumenta o nosso desgaste. Fácil de perceber, mas dá um "trabalhinho" para realizar. Posso dizer que estou "em construção" rsrs.


No retorno às minhas atividades, me deparei com essa frase do Mário Sergio Cortella (o título) dita em um vídeo no YouTube (veja o vídeo, vale a pena!). Na hora achei muito legal, mas passei por ela sem tanta reflexão. Mas, a tal da frase, e a consequente solução para o dilema, ficou na minha cabeça muito mais profundamente do que imaginei. Ao pensar sobre isso, vi que ela se relaciona exatamente com o mantra que tanto repetimos no TechSocial: "Não é sobre VOCÊ, é sobre os OUTROS"!


Só podemos "ficar" e viver "eternamente" nas OUTRAS pessoas que sentem a nossa falta! Isso significa que, se quisermos viver indefinidamente, precisamos ter construído um legado durante a nossa passagem terrena. Esse legado, que vive na saudade dos outros, representará a nossa nova forma de vida. Mas, colocando a filosofia de lado, para que serve esse legado na realidade do AGORA? Serve para que tenhamos uma vida, a tal passagem terrena anteriormente citada, mais feliz e "bem vivida", afinal, a felicidade é o santo graal da busca humana, não é?


Considere a reflexão: se vivemos para sermos felizes e essa felicidade está no legado que deixamos para os outros, o meu melhor dia, será aquele em que mais eu ajudo o outro a resolver os seus problemas. Se isso for verdadeiro, terei tantos "melhores" dias quantas mais pessoas (consumidores, clientes, usuários, ...) eu conseguir ajudar.