O Outro Lado da Quarentena




Você já parou para pensar o que seu estilo de vida diz para o meio ambiente? Ou melhor, o que seu estilo de vida acarreta ao meio ambiente?


Bem neste post nós vamos conversar sobre o impacto da nossa presença e, consequentemente, nosso estilo de vida no meio ambiente. Começaremos por entender a definição de Pegada Ecológica, mas vocês já devêm ter ouvido falar sobre a terminologia “Pegada Ecológica?” oras! A Pegada Ecológica mede a quantidade de recursos naturais renováveis para manter nosso estilo de vida. Basicamente, tudo o que usamos para viver vem da natureza e mais tarde voltará para ela. Essa é a nossa Pegada (Disponível em: PegadaEcológica.org.br). Segundo a WWF, tal artifício é uma metodologia de contabilidade ambiental que avalia a pressão do consumo das populações humanas sobre os recursos naturais.

Direito imagem: Meio ambiente técnico

Nestes dias de distanciamento social, aos quais os cidadãos de várias nacionalidades e lugares distintos do mundo estão submetidos, venho observando o quanto calcular e conhecer nossa pegada ecológica é importante. Bem, até ser realmente necessário a maioria de nós não havia realizado ou percebido o quanto impactamos o meio em que estamos inseridos. Vale ressaltar que muitos nem mesmo percebem o quanto nossa existência no “Planeta Azul” é uma via de dois rumos. Uma espécie de toma lá dá cá em que atualmente estamos mais tomando do que fornecendo.


Mas o que tem a ver a quarentena nisso tudo? Vocês provavelmente devem estar se perguntando! Bem, para ilustrar a importância do da nossa pegada ecológica para o planeta trago alguns exemplos de cidades que observaram mudanças significativas em suas condições ambientais com a redução da circulação humana e, consequentemente, uma possível redução das marcas que deixamos no planeta.


Vamos começar por Veneza. Uma belíssima cidade italiana conhecida pelos inúmeros canais que cortam a cidade e por sua proximidade e interação com as águas oceânicas. Tanta beleza atrai muitos turistas à Veneza e acaba por impactar a região pela produção de resíduos e intenso aumento da circulação humana. Em dias de movimentada circulação humana os canais da cidade são vistos inundados por gôndolas e barcos de passeio que levam e trazem milhares de pessoas, entregam itens ou mesmo recolhem o lixo produzido. Consequentemente, a vida marinha não costuma muito dar as caras por ali. Entretanto nos últimos dias a mídia vem noticiando mudança na paisagem da pequena cidade histórica. Os canais antes lotados por embarcações repletas de turistas e moradores em um vai em vem frenético vem agora sendo ocupados por uma clientela bem mais pitoresca, digamos assim. Cines, golfinhos, cardumes de peixes e uma água de cor clara azul-esverdeada são as palavras usadas para descrever a pequena linda cidade nestes dias de quarentena.