• Heide Vanessa

Tecnologias do bem!


Olá pessoal, de volta ao nosso bate-papo, hoje vamos conversar sobre tecnologias do bem. Antes de mais nada, para este post considere “tecnologias do bem” claramente como tecnologias que podem auxiliar-nos na proteção do meio ambiente sem que tenhamos que renunciar às regalias as quais estamos acostumados. Embora, na mente da maioria dos humanos ainda seja impossível conciliar preservação/manutenção e desenvolvimento econômico. Por esse motivo, apresentarei a vocês possibilidades viáveis e já existentes de avançarmos no campo tecnológico sem degradar ainda mais o meio ambiente.

Vocês irão perceber que algumas destas tecnologias já são vistas em nosso cotidiano, outras ainda não tão divulgadas, mas não deixam de ser interessantes para se abordar no contexto do nosso texto. Para iniciar, falaremos sobre o Vidro Solar...



Vidro Solar

Do inglês “Solar Glass” consiste em uma tecnologia semelhante aos painéis solares que visualizamos em telhados e usinas solares mundo a fora com a diferença que agora não precisaríamos estar limitados aos nossos telhados e as usinas especificas para tal. Como vocês já devem saber a tecnologia de paneis solares é algo bem presente em nosso cotidiano, embora do meu ponto de vista no Brasil ainda é pouco utilizada, o que pode estar associada ao alto custo de instalação e investimento aqui no país.



Fonte: Richard Lunt / Michigan State University

Especificamente, vidros solares consistem em material fotovoltaico transparente que podem literalmente gerar eletricidade a partir das superfícies onde estão instalados, como em janelas. Assim, uma vez que toda e qualquer construção precisa ter janelas para ventilação é como se agora nós literalmente agregássemos uma função à mais as janelas das residências, escritórios, prédios e, por que não, até mesmos os nossos celulares. A visão mais simples seria ter uma bela vista das janelas e ao mesmo tempo saber que estas estão gerando energia para consumo no ambiente. Em um pensamento ainda mais positivo do futuro teríamos casas e escritórios energeticamente eficientes e auto suficientes.

Segundo a Revista Solar Magazine, publicada em fevereiro de 2020, pesquisadores da Universidade do Estado de Michigan (MSU) criaram originalmente o primeiro concentrador solar totalmente transparente em 2014. Esse painel solar transparente pode transformar praticamente qualquer folha ou janela de vidro em uma célula fotovoltaica. Os pesquisadores analisaram o potencial dos vidros solares, ao coletar apenas luz invisível, e concluíram que estes têm um potencial de geração de eletricidade semelhante aos painéis solares na cobertura, além de fornecer funcionalidades adicionais para aprimorar a eficiência de edifícios, automóveis e eletrônicos móveis (Traverse et al. 2017).

O desafio ainda hoje é obter uma transparência mais aceitável do material, mas espera-se que até o final de 2020, os pesquisadores dos EUA e da Europa já tenham alcançado a total transparência para o vidro solar.



Farmbot

O FarmBot é o primeiro robô agrícola concebido em open source (código aberto). Isto inclui não só o software usado para programar as funções do robô, mas também as peças usadas no equipamento. Estamos lidando com um robô agrícola cujo objetivo principal é melhorar a forma como nós lidamos com a terra e isto vai desde o mecanismo mais exigente (educação e aplicação comercial) até o pequeno fazendeiro (uso doméstico). Segundo o site do fabricante (disponível nas referências), o FarmBot trabalha com a ideia de agricultura de precisão para indivíduos ambientalmente conscientes que substituiriam a longo prazo o maquinário com preços astronômicos por preços mais modestos.




Fonte: https://farm.bot/pages/yield

“A máquina é capaz de plantar sementes de 33 espécies diferentes, regá-las com precisão, permitindo assim o plantio diversificado. O espaço para o cultivo, a quantidade de água e os cuidados específicos de cada vegetal são calculados automaticamente pelo software” (Bernardo Kaluan, FreeEssence).

Entretanto, como toda tecnologia recém descoberta o valor pode assustar ainda os pequenos investidores, há de se esperar, porém, que o tempo e a pesquisa continuada nos ajudem a sonhar com esse avanço de forma mais realista.



Carros elétricos

Carros elétricos como o próprio nome já diz, consistem em veículos de transporte alimentados por energia elétrica que pode ser produzida de forma convencional ou através de painéis solares instalados em residências. Se alimentado pela energia produzida através de painéis solares temos o veículo de transporte que pode ser considerado “environment friendly” ou favorável ao ambiente.

Vejamos “Vocês devem estar se perguntando: mas em termos de autonomia qual a diferença entre este motor elétrico e os demais, a combustão por exemplo?” Ora, ora meu caro amigo, escrevo um post sobre meio ambiente e logicamente eu tenderia ao carro elétrico, entretanto farei isso observando com vocês alguns trabalhos já publicados.

Em 2006, Granovskii e colaboradores já apresentavam dados do quão interessante eram os motores de carros elétricos, considerando seu bem ao meio ambiente. Comparações econômicas e ambientais de quatro tipos de veículos: célula de combustível convencional, híbrida, elétrica e hidrogênio, demonstraram que carros híbridos e elétricos apresentam vantagens sobre os outros tipos, mas em termos de eficiência econômica e o impacto ambiental o uso de carros elétricos se destacavam ainda mais, porém dependem substancialmente da fonte de eletricidade.

Na indústria automobilística destacasse atualmente a empresa norte-americana Tesla. Seu desempenho no ramo automobilístico com a produção de carros elétricos vem crescendo e ganhando destaque desde 2013. Interessantemente, embora a Tesla chame atenção pelos modelos de carros elétricos já disponíveis no mercado a sua produção também alcança o fornecimento de paneis solares para geração de energia limpa em indústrias e residências.


Fonte: Tesla.com

Em outro estudo, agora realizado em 2012 por Helmers e Marx foi observado que que o carro elétrico pode servir como um instrumento adequado para um futuro em mobilidade muito mais sustentável. Todavia, embora muitos estudos corroborem os dados sustentáveis do carro elétrico, o projeto ainda enfrenta dificuldades em muitos países pela ausência de suporte técnico (desde manutenção até fornecimento de peças) e para abastecimento.


Assim, meus caros amigos, como podemos acompanhar as tecnologias aqui apresentadas se mostram bastante promissoras na tentativa de impactar positivamente o meio ambiente que nos cerca dando-nos um sopro de esperança sobre um futuro não tão distante. Embora tenha citado apenas algumas das tecnologias disponíveis, há muitas outras formas de unir o avanço tecnológico a manutenção do meio. Entretanto, é preciso deixar claro que diferentes tecnologias resultam em diferentes necessidades e até mesmo diferentes perspectivas de melhoria. Cabe a nós detentores do saber científico agregar qualidade tecnológica a mecanismos eficazes de preservação/manutenção do meio ambiente. Somos todos capazes, mas há que se pôr em prática.


Referências:

FamBot, disponível em: https://farm.bot/

Granovskii M, Dincer I, Rosen M A (2006) Economic and environmental comparison of conventional, hybrid, electric and hydrogen fuel cell vehicles. Journal of Power Sources 159 (2006) 1186–1193.

Helmers E, Marx P (2012) Electric cars: technical characteristics and environmental impacts. Environ Sci Eur 24, 14.

Kaluan, Bernador (2016) disponível em: https://www.freetheessence.com.br/inovacao/tecnologia/farmbot-tecnologia-agricultura/

Solar Magazine, disponível em: https://solarmagazine.com/solar-panels/transparent-solar-panels/. Acesso: abril, 2020.

Traverse CJ, Pandey R, Barr MC. et al. Emergence of highly transparent photovoltaics for distributed applications. Nat Energy 2, 849–860 (2017).

Inscreva-se para receber a Newsletter do TechSocial

  • Branca ícone do YouTube
  • branco
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Tumblr
  • Branca Ícone Instagram
  • Branco RSS Icon

© 2020 por TechSocial. Criado com Wix.com